top of page
  • Foto do escritorRedação Bode Fatos

Sabatina TV Cabo Branco: Adjany erra número de cidades atendidas pela Patrulha Maria da Penha na PB

Atualizado: 22 de set. de 2022


Foto: Felipe Lima/TV Cabo Branco

Equipe Bode Fatos: João Pedro Carvalho e Wendell Paiva/ Edição: Ítalo Rômany

Equipe Jornal da Paraíba: Dani Fechine


A professora Adjany Simplicio (PSOL), candidata ao governo da Paraíba, foi entrevistada neste sábado (17) no telejornal JPB1, da Rede Paraíba de Comunicação. Durante a entrevista, Adjany citou dados sobre segurança pública, envolvendo questões relativas à violência contra a mulher, e abordou também questões políticas.


A equipe da Bode Fatos, em parceria com a equipe do Jornal da Paraíba*, apurou e encontrou erros em algumas informações. Confira abaixo as frases que foram checadas:



"Não tenho experiência de mandato"

Adjany Simplicio, candidata do PSOL ao governo da Paraíba, durante sabatina realizada pela TV Cabo Branco, em 17 de setembro de 2022


A INFORMAÇÃO É VERDADEIRA


Adjany Simplicio é pedagoga e professora da educação básica na Rede Municipal de João Pessoa desde 2015. Mas nunca ocupou um cargo no executivo, tampouco no legislativo. Em 2018, ela compôs a chapa como candidata à vice, junto com Tárcio Teixeira. Em 2020, ela também concorreu a uma vaga na Câmara de Vereadores de João Pessoa.


—-



"A gente tem uma meta a atingir, hoje são 9 mil [o déficit do contingente da PM na Paraíba"

Adjany Simplicio, candidata do PSOL ao governo da Paraíba, durante sabatina realizada pela TV Cabo Branco, em 17 de setembro de 2022


A INFORMAÇÃO É VERDADEIRA


Segundo o decreto 37.679, de setembro de 2017 (página 1), o efetivo da Polícia Militar na Paraíba deveria ser de 17.935 policiais militares. Considerando que o efetivo atual é 8.951 homens militares, o déficit, portanto, seria de 8.984, número próximo ao citado pela candidata.



"O último dado da CPI do feminicídio [na PB] apresentou que a gente tem, até 2021, mais de 11 mil medidas protetivas deliberadas"

Adjany Simplicio, candidata do PSOL ao governo da Paraíba, durante sabatina realizada pela TV Cabo Branco, em 17 de setembro de 2022


TEM UM PORÉM


O relatório final da CPI do Feminicídio traz dois dados relativos a medidas protetivas concedidas. O dado citado pela candidata faz referência ao Anuário Brasileiro de Segurança Pública, referente ao ano de 2020. Entretanto, os dois estudos citados no relatório trazem divergências nas informações, como sugere o próprio texto da CPI.


Dados do Tribunal de Justiça da Paraíba indicam que, em 2019, houve 7.317 medidas protetivas distribuídas e, em 2020, 6.438.


Outro dado citado pela CPI, conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, indica que o número saiu de 7.317, em 2019, para 11.230, em 2020.


O próprio texto da CPI sugere um melhor levantamento desses dados. "Essas divergências evidenciam a necessidade de uma plataforma unificada de informações, que possa minimizar interpretações incorretas ou contraditórias a respeito dos dados fornecidos."


A reportagem entrou em contato com a assessoria da candidata e aguarda uma resposta sobre o assunto.



"E uma Ronda Maria da Penha que atinge 34 municípios”

Adjany Simplicio, candidata do PSOL ao governo da Paraíba, durante sabatina realizada pela TV Cabo Branco, em 17 de setembro de 2022


A INFORMAÇÃO É FALSA


Segundo o relatório da CPI do Feminicídio [página 135], a Ronda Maria da Penha foi criada no município de João Pessoa em 2019. O objetivo do programa é realizar o enfrentamento à violência contra as mulheres, atuando na prevenção de casos de feminicídio na capital paraibana. Os dados levantados pela CPI mostram que só o município de João Pessoa tem esse programa.


No estado, existe a Patrulha Maria da Penha. A sede, em João Pessoa, é uma base de apoio para as 26 cidades da Paraíba atendidas pelo programa, incluindo a região metropolitana da capital.


Em 2021, o serviço foi ampliado para atender mulheres em situação de violência doméstica e familiar em 34 cidades da região de Campina Grande.


No total, a Patrulha Maria da Penha atende 60 cidades da Paraíba. Os dados estão disponíveis no relatório da CPI do feminicídio.


A reportagem entrou em contato com a assessoria da candidata e aguarda uma resposta sobre o assunto.


—-


"Temos hoje só 14 delegacias [da mulher] no estado"

Adjany Simplicio, candidata do PSOL ao governo da Paraíba, durante sabatina realizada pela TV Cabo Branco, em 17 de setembro de 2022


A INFORMAÇÃO É VERDADEIRA


A Paraíba tem hoje 14 Delegacias da Mulher (Deam) espalhadas em todas as regiões do estado, como João Pessoa, Santa Rita, Guarabira, Cajazeiras, Patos, dentre outras cidades. A lista completa pode ser conferida aqui.


---


Tem dúvidas sobre nossa metodologia? Clique aqui. Você pode conferir o passo a passo da checagem e entender nossas etiquetas.


*A parceria com o Jornal da Paraíba se deu unicamente por meio da checagem produzida em conjunto com as equipes, sem nenhuma relação comercial.


17 visualizações
bottom of page